A crase ainda te assusta? Confira dicas rápidas para não ter dúvidas nunca mais.

Tempo de leitura: 3 minutos

O uso da crase ainda arranca os cabelos dos estudantes e gera muita dúvida na hora de escrever. Preparamos dicas rápidas e simples para você aplicar na hora da prova.

 A crase é a junção de duas vogais idênticas com funções distintas no texto: preposição e artigo.

 A regra geral é quando os verbos transitivos indiretos pedirem a preposição “a” e o substantivo à frente exigir o artigo “a” ( no feminino), temos que usar a crase.

 

Dica 1: REGRA GERAL

A crase é a junção da preposição a +  artigo a = à

Não te ajudou muito?

Calma, vamos trabalhar com exemplos práticos.

 

Dica 2: COMO DESCOBRIR SE TEM A SOMA “A (preposição) + A (artigo)”

 As mulheres foram à/a festa de final de ano da escola.

 E agora? Tem ou não tem crase?

 Para saber, coloca um masculino no lugar do substantivo (com sentido semelhante) e veja o que acontece.

 Vamos trocar “festa” por “encontro”.

 As mulheres foram a+o encontro de final de ano da escola. 

Vejam a mágica:

A gente conseguiu desmembrar e revelar uma soma escondida ali.

Então quando aparece “AO”, a sentença tem uma soma. Portanto, tem crase.

E o correto é:

As mulheres foram à festa de final de ano da escola.

Essa dica é porreta. Vai te ajudar na maioria dos casos.

 

DICA 3 LUGARES E CIDADES. PARA NÃO VIAJAR NA CRASE.

Essa dúvida é muito comum e é preciso ter muito atenção. Na hora da prova, muita pegadinha surge nesse tipo de construção.

Nas seguintes sentenças: Vou __ Argentina. Vou __ Roma. Qual tem crase ou não?

A dica para você guardar nesses casos é:

VOU A – VOLTO DA – CRASE NO A

VOU A – VOLTO DE – CRASE PRA QUÊ?

Vou à Argentina. Volto da Argentina. (crase no a)

Vou a Roma. Volto de Roma. (crase pra quê?)

 

Dica 4 LEIA A SENTENÇA INTEIRA PARA NÃO SE PERDER.

Muito cuidado quando for usar a regra vou a/ volto da. Precisa ler a sentença inteira e fazer a substituição dentro do sentido do texto.

Vou __ Roma querida dos meus pais.

Eu estou qualificando a cidade de Roma, portanto ela ganha um artigo.

Quando eu aplicar a dica 3, vai ficar:

Volto da Roma querida dos meus pais.(crase no a)

Portanto, nesse caso, o correto é com crase:

Vou à Roma querida dos meus pais.

 

Dica 5 À NOITE OU A NOITE? COMO USAR A CRASE PARA DIFERENCIAR SUBSTANTIVO DE ADVÉRBIO

Essa é outra escorregada que muito estudante acaba fazendo e perdendo ponto à toa na hora da prova. Em primeiro lugar, precisa treinar bastante a diferença entre substantivo e advérbio — uma outra aula que você pode conferir nos nossos pacotes e virar expert.

Mas a gente te dá um empurrãozinho extra, porque, afinal, crase não dá mole para ninguém.

A dica aqui é parecida com a primeira da regra geral. Precisamos “revelar” se tem uma soma escondida na expressão.

Então você substitui a expressão “À/a noite” por uma expressão masculina e, atenção, com sentido equivalente. Se você trocar por qualquer outra expressão, pode trocar o sentido e aí sim fazer a confusão entre substantivo e advérbio.

Portanto, interpretação de texto e domínio linguístico são imprescindíveis.

Vejam os exemplos abaixo:

À noite, a lua é linda. [ao meio-dia]. Advérbio. Tem soma. Tem crase.

A noite é linda. [o dia]. Substantivo. Não tem crase.

 

À medida que encher, vai transbordar. [ao passo] Advérbio. Tem soma. Tem crase.

A medida da mesa é 2 metros. [o comprimento] Substantivo. Não tem crase.

 

Às vezes, eu passo aqui. [aos poucos] Advérbio. Tem soma. Tem crase.

As vezes que passei aqui, você não estava. [os momentos] Substantivo. Não tem crase.

[wpdevart_facebook_comment/* Para remover esta mensagem, instale e configure o plugin Facebook Comments WordPress (https://wordpress.org/plugins/comments-from-facebook/) em "Plugins > Adicionar Novo" */]